O Que Causa Corrupção Na Sociedade de Hoje? Uns Poucos Homens Poderosos, Ou O Interesse-Próprio De Todos?



“É uma conspiração? Tais poderosos homens se encontram em salas escuras e trabalham para perceber como manter o seu poder? Na realidade, não tanto quanto você possa pensar. Está a ver a coisa hilariante sobre tudo isto é que tal processo de manipulação é na realidade auto-gerado, justificado de uma maneira passo-a-passo com o interesse-próprio básico a guiar o caminho todo. 
A verdadeira corrupção não está a ocorrer em encontros no quarto dos fundos ou nas docas. O verdadeiro poder reside em como vocês, o público, na realidade perpetuam, perdoam e apoiam os próprios sistemas que os suprimem.” 
“Até que a premissa social em si mesma, e daí os condutores psicológicos fundamentais da nossa economia, equilíbrio, escassez estreito interesse-próprio, exploração e competição, até que esses sejam alterados para a extensão que o sistema comece a recompensar e reforçar colaboração, equilíbrio humano e ecológico, eficiência e sustentabilidade, nada realmente vai mudar. 
Numa condição sociológica em que tudo é baseado na vantagem sobre os outros, o que chamamos de ‘corrupção’ hoje na realidade não é corrupção de todo. É só ‘negócios como costume.’ Quero dizer, sériamente, o que é que vocês esperavam? Numa economia em que tudo está à venda pela própria ética inerente ressaltada pela falsa noção de que não conseguimos trabalhar juntos inteligentemente para beneficiar todos, nenhum nível de suposta ‘corrupção’ deve surpreender nenhum de nós.” 
~ Peter Joseph
Há alguns estudos recentes que vão mudar nos próximos tempos imenso sobre gestão e liderança, no círculo empresarial e na política, estes são estudos essencialmente sobre empatia e os efeitos do poder e prosperidade.


Todos conhecemos a famosa experiência de Stanley Milgram de obediência à autoridade e a infame experiência da prisão de Standford de Philip Zimbardo. Ambas demonstram como a psique humana é mudada quando assumimos uma identidade ou uma posição de poder mas não é propriamente claro o porquê.

Pode estar a falta de empatia relacionada às posições de liderança?

Zero Graus De Empatia: O Défice De Empatia nas Empresas e Hierarquia

"Quando as pessoas cometem acções 'más' perguntamos sempre «porquê?» 
A ausência de empatia é a melhor explicação que alguma vez ouvi, visualização cerebral demonstra empatia zero ou negativa como traço comum para pessoas que são bordeline, narcisistas ou psicopatas. 
Então isto fez-me pensar, 'qual é o equivalente para as empresas?
Estas pessoas podem não matar fisicamente mas certamente o fazem danos espirituais e emotivos a muitas muitas pessoas.. 
E quando há empatia zero no topo o que flui para baixo, espero que agora consigam ver porque não haverá inovação, pelo menos durante muito tempo."
~ Jackie Acho, Presidente do Grupo Acho - Ashoka Future Forum 2013  
"A marca de uma sociedade compassiva e civilizada é que tentamos compreender as acções das outras pessoas, não tentamos simplesmente as condenar."
~ Professor e psicólogo Simon Baron Cohen, autor de Zero Degrees Empathy

A Psicologia dos Ricos e Poderosos:
Efeitos Do Poder e Posses Sobre A Psique Humana
"Deixa-me contar-te sobre os muito ricos. Eles são diferentes de mim e ti. 
Eles possuem e desfrutam cedo e isso faz-lhes algo, torna-os suaves onde nós somos duros e cínicos onde somos de confiança, de uma maneira que, a menos que tenhas nascido rico é difícil de compreender. Eles pensam, bem nos seus corações, que eles são melhores que nós somos porque tivemos de descobrir as compensações e refúgios da vida por nós mesmos. Eles são diferentes."
Estudo: Os Ricos São Realmente Mais Egoístas
"Indivíduos da 'classe baixa', pessoas sem muito dinheiro ou educação, demonstram mais compaixão e empatia que seus contemporâneos prósperos, de acordo com uma série de estudos psicológicos. Em gíria dos cientistas sociais, 'comportamento egocêntrico' é mais propenso a ser exibido por pessoas com boas educações, empregos prestigiosos, vencimentos altos e estatuto social geralmente mais alto."
Brad Tuttle, TIME

Egoístas Ricos: Como Ser Rico Aumenta O Narcisismo
"Os ricos realmente são diferentes, e aparentemente mais egocêntricos, de acordo com a mais recente pesquisa. 
Isso vai contra a sabedoria convencional que quanto mais as pessoas têm, mais elas valorizam suas obrigações de retribuir aos outros. Recentes estudos demonstram, por exemplo, que as pessoas mais prosperas são mais propensas a impedir as pessoas no trânsito e a se comportarem de maneira não-ética em cenários de negócio e caridade simulados.  
"Há esta ideia de quanto mais tem, menos se sente no direito e mais grato se sente, e quanto menos tem mais sente que merece. Isso não foi o que descobrimos,” diz o autor Paul Piff, um psicólogo na Universidade da Califórnia, Berkeley. “Isto parece ser o oposto da nobre obrigação.”
Maia Szalavitz, TIME

O Efeito da Titularidade 
"Uma coisa estranha acontece na mente quando você compra algo. 
Não importa o que for, um par de jeans, um carro ou até uma casa, nesse momento em que um objecto se torna a sua propriedade, ele atravessa uma transformação. Porque você o escolheu e você o associa a si mesmo, seu valor é imediatamente aumentado (Morewedge et al., 2009). Se alguém se oferecer para o comprar, as chances são que você quererá cobrar muito mais do que eles estão preparados para pagar. Essa é uma predisposição cognitiva chamada ‘o efeito da titularidade’."

~ Jeremy Dean, Psyblog 
http://www.spring.org.uk/2013/03/the-endowment-effect-why-its-easy-to-overvalue-your-stuff.php
Porque São Os Ricos Menos Éticos: Eles Vêem Ganância Como Boa
"Embora estereótipos sugiram que as pessoas pobres são mais propensas a mentir e roubar, novas pesquisas descobrem que na realidade são os ricos que têm tendência a se comportar não-eticamente. Numa série de experiências envolvendo tudo desde condução perigosa a mentir em negociações empresariais e enganar para obter um prémio, pesquisadores descobriram que, por todo o relatório, os ricos se comportaram pior. Mas, em vez da classe em si mesma, os autores sugerem que são as visões sobre ganância que podem amplamente explicar a diferença."

Maia Szalavitz, TIME

Como Corrompe o Poder a Mente
"Quando as pessoas se sentem poderosas ou se sentem sem poder, isso influencia a sua percepção das outras," disse Yap, que é agora um investigador pós-doutorado na MIT. De acordo com o seu entendimento, julgamos o poder dos outros relativamente ao nosso: Quando nos sentimos poderosos, os outros parecem menos poderosos, e falta de poder e pequenez frequentemente andam de mão dada nas nossas mentes.

Isto significa que pessoas com poder não só tomam o que querem porque elas o podem fazer sem punição, mas também porque intuitivamente sentem que têm o direito a o fazer. Inversamente, pessoas que carecem de poder não só falham obter o que querem porque elas não são permitidas a o fazer, mas também porque elas sentem intuitivamente que não têm o direito a isso."
BRIAN RESNICK, The Atlantic




"Quando uma pessoa o faz sofrer, é porque ela sofre profundamente dentro dela, e o sofrimento dela está a vazar e a se espalhar.
Essa pessoa não precisa de uma punição, ela precisa de ajuda."
~ Thich Nhat Hanh

Pesquisas adicionais:

1 comentário: